(79) 3243-3875 / (79) 9132-0313

Delegado Archimedes Marques lança livro sobre Lampião em Sergipe

24 de Abril de 2018

Foto -

Na noite da última quinta-feira, 18, o delegado de Polícia Civil Archimedes Marques lançou mais uma obra literária que narra a história de Lampião e seu bando em passagem por Sergipe. A obra foi intitulada “Lampião e o cangaço na historiografia de Sergipe”.
 
Além de escritor, Archimedes também é artista plástico. Na ocasião foram expostas algumas de suas obras, cuja matéria-prima é o papel triturado e a cola. 
 
"Desde criança também me interessava pelos assuntos ligados ao cangaço e sempre estava atento a todas as histórias sobre Lampião. O interesse maior surgiu na década de 70, época em que ainda bastante jovem, passava as minhas férias na linda cidade de Piranhas, um dos principais focos dessa saga", afirmou o delegado.
 
O presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Sergipe - Adepol/SE -, Isaque Cangussu, acompanhado do vice-presidente, Robério Santiago, e da secretária-Geral, Flávia Félix, prestigiaram o lançamento.
 
Escritor de artigos diversos nas áreas policiais e afins, publicados em sites e jornais escritos espalhados pelos quatro cantos do Brasil, além de vários textos repassados para livros coletivos, Archimedes havia lançado em 2012 sua primeira obra sobre o tema, intitulada “Lampião Contra o Mata Sete”.
 
"Lampião Contra o Mata Sete foi  a   minha  primeira obra literária, um livro contestação, uma obra que desmontou pedra por pedra o indigesto livro 'Lampião, o mata sete'. E, agora, a coleção 'Lampião e o cangaço na historiografia de Sergipe', uma  obra que terá cinco volumes no seu final, fruto de quase 10 anos de pesquisa", explica Archimedes.
 
Em sua trajetória de atuação na Polícia Civil do Estado, Archimedes Marques foi aprovado no primeiro concurso para o cargo de delegado em Sergipe.
 
Atuou como titular em quase todas as Delegacias da Capital, além de exercer os cargos de diretor do Cope, diretor da Copcal, diretor da Copci e corregedor-Geral por duas vezes.
 
"A história nordestina-sertaneja me fascina, e Sergipe é minha paixão maior nesse sentido. Por isso, me sinto altamente gratificado em deixar para as gerações futuras a minha singela contribuição", finalizou Archimedes Marques.